22 jan, 2024

Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes – resumo do livro de Stephen R. Covey

“Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, escrito por Stephen R. Covey, na minha opinião, é o mais completo guia de auto desenvolvimento já escrito. Diversos autores renomados como Simon Sinek (Comece pelo Porquê) , Daniel Pink (Drive – motivação 3.0) ou Brené Brown (A coragem para liderar) dão crédito a Covey pelos insights que os inspiraram a escrever trechos de seus livros.

Covey apresenta uma abordagem holística, baseada em princípios éticos, para guiar o leitor na jornada rumo à eficácia pessoal. Entenda que este não é um livro “fácil” de se ler, pois ele pode incomodar. Incômodo de ver que comportamentos que você tem e acredita serem “normais” ou positivos podem na verdade ser extremamente nocivos. Quando li pela primeira vez eu parava a cada 5 ou 7 páginas para refletir sobre o que lia. Algumas partes foram muito dolorosas de ler, e ao mesmo tempo muito necessárias.

Os sete hábitos seguem uma sequência crescente, ou seja, para ter um bom domínio em um determinado hábito é necessário ter antes um bom domínio dos hábitos anteriores.

Adicionalmente, faço uma importante observação sobre o título do livro. Eficácia é fazer o que precisa ser feito para atingir resultados, enquanto eficiência é fazer algo bem feito. É possível ser eficiente sem ser eficaz e vice-versa. Efetividade é ser eficaz e eficiente ao mesmo tempo, ou seja, é atingir resultados da melhor maneira possível. No original em inglês o título é “The 7 habits of highly effective people”, ou seja, hábitos de pessoas altamente efetivas. Covey fala muito ao longo do livro sobre este equilíbrio entre dar foco no resultado E no processo.

Vitória Particular e Pública

Os sete hábitos estão divididos entre Vitória Particular, que abrange os hábitos 1, 2 e 3, e a Vitória Pública, hábitos 4, 5 e 6. Vitória Particular sou eu comigo mesmo, e a Pública sou eu interagindo com outras pessoas. Por fim, o sétimo hábito, Afie o instrumento, é a melhoria contínua dos 6 hábitos anteriores.

Nossa evolução pessoal, portanto, é de dentro para fora. Para conseguir ser efetivo nas relações com outras pessoas (Vitória Pública), é necessário primeiro ser efetivo na relação consigo mesmo (Vitória Particular).

Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes

1. Seja Proativo

O primeiro hábito destaca a importância de assumir a responsabilidade por nossas vidas. Pessoas proativas entendem que são responsáveis por suas escolhas e reações diante das circunstâncias. Em vez de serem vítimas, elas influenciam positivamente seu ambiente realizando ações que estão na sua área de influência. Fazem o que estão ao seu alcance e continuam buscar novas ações que estão na usa área de influência. Dessa forma, ao agirem dentro da sua área de influência, aumentam esta influência e consequentemente reduzem sua preocupação.

A proatividade é a base para a efetividade. Sem assumir a responsabilidade pelas ações que podemos exercer dentro da área de influência ficamos à mercê somente dos eventos externos, e dessa forma não conseguimos evoluir nos demais hábitos. O inverso da proatividade é a reatividade, comportamento onde a pessoa somente reclama e se preocupa, mas não age para evoluir em uma situação ou na vida.

2. Comece com o Objetivo em Mente

O segundo hábito incentiva a criação de uma visão clara e definida tanto para a vida quanto para nosso dia a dia. Covey destaca a importância de estabelecer metas alinhadas aos nossos valores fundamentais. Ao começar com o objetivo em mente estamos sempre nos perguntando o que queremos atingir com uma determinada ação. Eficácia envolve atingir objetivos, e quando você tem claro o que quer atingir, tanto nas ações diárias quanto na vida, você está garantindo direcionar esforços para isto.

Pessoas que não começam com seus objetivos em mente podem dar foco somente nas tarefas, ou mesmo em aspectos irrelevantes, e com isso diminuem sua efetividade e eficácia. É certamente o caso das pessoas que querem ganhar discussões provando que estão certas e as outras pessoas, erradas. Esquecem que um embate desta natureza pode, além de prejudicar relacionamentos, afastá-las de seus reais objetivos.

Por outro lado, quem demonstra este hábito se faz o tempo todo a seguinte pergunta: “O que quero atingir nesta situação?” Seja em uma reunião, diante de uma conversa difícil, uma nova tarefa, um conflito, um plano, ou seja, o tempo todo, elas se questionam qual é (ou quais são) o objetivo que querem alcançar.

Ainda no campo dos objetivos, neste vídeo falei sobre a importância de ter claro para você mesmo sua própria definição de sucesso.

3. Primeiro o mais importante

A vida é feita de escolhas. Constantemente precisamos decidir o que priorizar, e é sobre isto que fala o terceiro hábito. Fazer primeiro o que é mais importante garante que você está dando prioridade para o que realmente importa em sua vida e trabalho. Nesse sentido, priorizar ações ligadas à manutenção de sua saúde e relacionamentos é igualmente importante para que possamos continuar buscando a maestria pessoal e profissional.

Quem não apresenta este hábito pode acabar priorizando atividades mais simples ou mais fáceis de executar em detrimento daquilo que lhes trará os melhores resultados. Dessa forma, estão sempre ocupadas mas não são efetivas em suas vidas.

Neste vídeo (antigo, mas ainda assim atual) falei sobre a Matriz ABCD de priorização, que Covey também apresenta no livro.

4. Pense Ganha-Ganha

Este hábito destaca a importância de buscar soluções mutuamente benéficas em todas as interações. Covey argumenta que uma mentalidade “ganha-ganha” é fundamental para o sucesso a longo prazo. Ao colaborar e encontrar soluções que beneficiem todas as partes envolvidas, criamos relacionamentos duradouros e positivos.

Covey apresenta no livro os 6 “Paradigmas da Interação Humana”:

  • Ganha-Perde
  • Perde-Ganha
  • Perde-Perde
  • Ganha
  • Ganha-Ganha
  • Ganha-Ganha ou nada feito

O mais alto nível de Maturidade Pessoal é, ao mesmo tempo, batalhar pelo que você quer atingir e buscar viabilizar os ganhos das outras partes. Covey apresenta este nível mais alto de maturidade com o “Ganha-Ganha ou nada feito”, onde não eu não permito encerrar uma interação ou negociação quando ambos não estão plenamente satisfeitos, mesmo que eu já tenha obtido o que eu gostaria.

5. Procure Primeiro Compreender, Depois Ser Compreendido

O quinto hábito aborda a comunicação eficaz em sua essência mais profunda. Covey diz que “A maioria das pessoas ouve para responder, não para compreender. Este hábito embora enfatize a necessidade de ouvir atentamente antes de expressar nossas próprias ideias, vai além. Ao compreender profundamente os outros, construímos confiança e abrimos espaço para em seguida sermos compreendidos de maneira mais significativa. Assim, não existe possibilidade uma comunicação verdadeira, assertiva e eficaz sem que nos comprometamos em genuinamente compreender os outros.

Isto envolve primordialmente estar atento ao diálogo mental que travamos com nós mesmos. Este diálogo interno pode certamente ser prejudicial quando estamos em uma conversa mas prestamos mais atenção em nossos pensamentos do que na pessoa com a qual estamos conversando. Portanto, precisamos estar atento a este diálogo e retornar a atenção plena ao outro quando percebermos que desviamos a atenção do outro para nossos pensamentos.

6. Crie Sinergia

A sinergia, o sexto hábito, destaca o poder da colaboração. Covey argumenta que, ao combinarmos nossos pontos fortes e aceitarmos as diferenças, podemos alcançar resultados que vão além das capacidades individuais. Criar sinergia envolve buscar soluções que vão além das alternativas limitadas e binárias.

Frequentemente estamos diante de impasses onde cada parte quer algo diferente. A criação de sinergia acontece quando olhamos para a situação sob ângulos diferentes e buscamos um entender o que é importante do outro, e dessa forma nos empenhamos em buscar alternativas inovadoras que visem o ganho mútuo.

7. Afine o Instrumento

Por fim, o último hábito destaca a importância do cuidado pessoal e da renovação. Covey compara nossas vidas a um instrumento musical que precisa ser afinado regularmente. Dessa forma, a renovação física, mental, emocional e espiritual, garante uma base sólida para a eficácia contínua. Precisamos manter nossa evolução pessoal, afinando o instrumento, para que possamos continuar causando o impacto positivo que queremos não somente em nossos resultados, mas em nossos relacionamentos e nossas vidas.

O sétimo hábito traz a importância de acreditarmos que estamos sempre em evolução. Quando acreditamos e agimos desta forma, mantemos nossa mente aberta para utilizar nossos próprios erros como fonte de crescimento.

Conclusões

Em resumo, “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes” é um guia abrangente e profundo para alcançar a eficácia duradoura em todas as áreas da vida. Através da adoção continuada desses hábitos, somos capazes de moldar nossos destinos, influenciar positivamente os outros e alcançar um sucesso significativo e sustentável.

Se você chegou até aqui e se interessa por evoluir nos 7 hábitos, acredito que valha a pena conferir meu curso online de Gestão do Tempo e da Vida. Nele eu falo de forma mais aprofundada sobre alguns dos 7 hábitos, bem como trago instrumentos e dicas práticas de como melhorar sua efetividade pessoal.

Por fim, acredito que este livro seja tão importante no campo do auto desenvolvimento que faz parte da minha lista dos 10 melhores livros de liderança, confere lá!


Eu trabalho desenvolvendo pessoas há mais de vinte anos, e desde 2013 atuo como Mentor e Coach profissional. Tive a oportunidade de trabalhar com Executivos, Gerentes, Coordenadores, mas também com estagiários, profissionais liberais e empreendedores, de segmentos tão variados quanto TI, agronegócio, indústrias, startups, logística, entretenimento online e construção civil. Minha abordagem é pragmática e focada nos resultados do cliente, sem misticismos ou promessas milagrosas. Entre em contato para conversarmos sobre seus desafios e como eu poderei ajudar!

Luiz Azeredo Costa